A internação psiquiátrica está reservada a casos nos quais o indivíduo perdeu sua capacidade de autodeterminação, ou a capacidade de se autogerir. Há situações que a perturbação mental coloca o indivíduo de tal forma alterado, que passa a representar uma ameaça a si próprio ou então para a sociedade. Nestes casos também está indicada a internação psiquiátrica.

Com o avanço dos modernos tratamentos, a necessidade de internação psiquiátricas devida às doenças chamadas “tradicionais” tem diminuído. Entretanto, com o advento de novas e potentes drogas que viciam milhares de pessoas ao dia que vagam como “zubis” pelas ruas, totalmente alienados e com perda da autodeterminação, há necessidade de novas medidas terapêuticas incluindo a internação.

Dentre as doenças psiquiátricas, a que tem indicação universal é o risco de suicídio. A medida visa proteger o indivíduo até que as medicações comecem a fazer efeito e ele recobre seu equilíbrio psíquico. No transtorno bipolar, a internação em sua fase mais aguda de Euforia (mania) tem o mesmo objetivo, proteger o indivíduo de seu comportamento inadequado que pode trazer consequências desagradáveis a ele e a outrem. Também na fase depressiva profunda, a internação pode ser necessária para se evitar o risco de suicídio.

Os surtos de psicose também são outro grupo de doenças que podem necessitar internação, se no rompimento com a realidade o indivíduo se tornar agressivo, violento , inadequado, o que pode também representar um perigo a si e aos que o rodeiam Novamente, até que as medicações façam efeito a internação pode ser necessária.

Nem todos os pacientes internados já estavam em tratamento para problemas psiquiátricos, justamente por isso estes têm a necessidade de internação. Alguns assim que melhoram abandonam o tratamento e a doença, que estava equilibrada, se descontrola e produz uma agudização ou um surto. Outras pessoas, no entanto, não estavam em tratamento algum – como nos casos em que usam determinada substância psicoativa (drogas ) e como consequência apresentam um surto psicótico agudo.

Por que há a necessidade de internação?

A grande maioria das pessoas pode ser tratada em casa., desde que tenha consciência da necessidade do tratamento, o siga com cuidado, tenha uma boa relação com os profissionais que a tratam , e tenha condições financeiras de adquirir o medicamento adequado (já que, infelizmente, poucos medicamentos de ultima geração são disponibilizados gratuitamente à população ).

Qual o tempo de internação?

Naturalmente em toda a internação existe um diagnóstico, e a partir dele um prognóstico, ou seja, uma previsão do tempo de recuperação. Esse tempo entretanto é muito variável e dependerá de inúmeros fatores, desde a qualidade do tratamento oferecido até à resposta do organismo e da pessoa ao tratamento.

Visitas são permitidas?

A visita é parte importante e fundamental em qualquer internação. Atualmente, se um paciente está em uma UTI, solicita-se a presença da família para atuar como estímulo positivo. No caso de distúrbios psíquicos, não raro numa primeira fase a família necessita ajuda e orientação. A família precisa ser “tratada” primeiro . Após essa etapa, numa segunda fase, estará capacitada a ajudar no tratamento e na recuperação do familiar.

Fonte: Minha Vida