Para manter-se sóbrio, o dependente químico precisa modificar radicalmente seu comportamento. Antigos hábitos, amizades, lugares que frequentava, tudo isso deve ser repensado. Afinal, é praticamente impossível manter contato com usuários de substâncias e não ficar vulnerável. Estamos diante de uma doença, de uma dependência sobre a qual, tantas vezes, não há autocontrole que resista.

No princípio da sobriedade, a mudança de comportamento deve ser radical: 

  • O dependente químico deve buscar a convivência com pessoas que não usem substâncias;
  • Ele não deve frequentar lugares onde pessoas façam uso de substâncias;
  • Deve procurar manter uma boa convivência familiar;
  • Deve praticar alguma atividade física;
  • Deve participar de grupos de apoio, como o AA e o NA;
  • Deve cuidar da espiritualidade;
  • Deve ter momentos de lazer, sempre na companhia de pessoas sóbrias (de preferência, alguém da família).

Quando a sobriedade estiver solidificada, aos poucos a vida irá entrar na normalidade. Desta vez, sem drogas.