Na novela Força do Querer, da TV Globo, a atriz Lilia Cabral vive Silvana, uma arquiteta bem sucedida que coloca o casamento e o patrimônio da família em risco por conta do vício em jogos, um transtorno denominado Jogo Patológico.

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), referência para médicos em todo o mundo, define o Jogo Patológico como um transtorno pertencente ao grupo de Transtornos Relacionados à Substâncias e Adição; “uma patologia progressiva e crônica, caracterizada pela incapacidade de resistir ao impulso de jogar, a despeito de severas e devastadoras consequências pessoais, familiares ou profissionais”.

Para o diagnóstico pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, o DSM 5, deve-se atender a cinco ou mais dentre os seguintes critérios:

  • Preocupação frequente com jogo;
  • Necessidade de aumentar os riscos ou apostas para alcançar a excitação desejada;
  • Esforço repetido e sem sucesso de controlar, diminuir ou parar de jogar;
  • Inquietude ou irritabilidade quando diminui ou pára de jogar;
  • Ameaçar ou perder relacionamentos significativos, oportunidades de trabalho, educação ou carreira por causa do jogo;
  • Jogo como forma de escapar de problemas ou para aliviar sentimentos desagradáveis;
  • Mentir para familiares, terapeuta ou outros, a fim de esconder a extensão do envolvimento com jogo;Específicos de jogos de azar:
  • Depois de perder dinheiro no jogo, retorna frequentemente no dia seguinte para recuperar o dinheiro perdido;
  • Contar com outros para prover dinheiro, no intuito de aliviar a situação financeira desesperadora por causa do jogo.
  • Cometer atos ilegais como falsificação, fraude, roubo ou desfalque para financiar o jogo;

Tratamento: é preciso internar?

Diversas modalidades terapêuticas têm sido oferecidas no tratamento do Jogo Patológico. A participação em grupos de jogadores anônimos é benéfica por combater a negação e projeções, tão comuns na patologia. Psicoterapia, terapia familiar, abordagens comportamentais, como a dessensibilização com imagens, têm sido relatadas com algum sucesso. O uso de medicamento psiquiátrico também pode ser sugerido pelo médico.

A internação psiquiátrica é considerada somente em casos de depressão severa, risco de suicídio ou iminência de cometer um delito.

Consulte um especialista.